sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Homenagem da Embaixada de Portugal em Brasília

Dario Castro Alves
ao lado do embaixador de Portugal no Brasil, Francisco Seixas da Costa
(Foto: Divulgação)
Brasília. O embaixador Dário Castro Alves foi homenageado pelos serviços prestados à diplomacia do país. A iniciativa foi do embaixador de Portugal no Brasil, Francisco Seixas da Costa, a que se associou o Instituto Rio Branco. A homenagem ocorreu na sede da Embaixada de Portugal em Brasília.


Dário Castro Alves veio de Fortaleza especialmente para a homenagem que teve as presenças dos embaixadores Paes de Andrade, Paulo Tarso Flecha de Lima, Synésio Sampaio de Goes Filho, Gonçalo de Mello Mourão, Jerônimo Moscardo de Souza, José Marcos Vinícius de Souza, Pedro Paulo Pinto de Assunção, Fernando Reis, o cônsul honorário de Portugal em Fortaleza, Francisco Brandão, e alunos do Instituto Rio Branco.


A solenidade foi aberta com apresentação de uma fotobiografia do homenageado, mostrando sua trajetória de menino em Fortaleza, estudante no Rio de Janeiro, diplomata em Buenos Aires, Nova Iorque, Moscou, Roma, Lisboa, Washington, Porto. Suas condecorações do Japão, Nicarágua, Guatemala, Peru, Bolívia, Equador, França, Portugal, medalhas, diplomas, fotos, moedas, placas, bandejas, livros.


Foi distribuído um livro com sua história, cargos, postos, participação, títulos especiais, atividades diversas, discursos e conferencias, e artigos publicados. Suas andanças no roteiro de Eça de Queiros, sua acolhida a brasileiros que estiveram em Lisboa, como Jorge Amado.


Gonçalo de Mello Mourão traçou um perfil profissional de Dario, lembrou a sentença de Paes de Andrade de que ´o Brasil é grande, mas o Ceará é maior´, justificou a razão de sua homenagem por ser Dário o mais antigo embaixador cearense e ele o mais recente. Recordou que Dario marcou sua passagem pelo Itamaraty pelo zelo profissional, lealdade e dignidade.


Por onde passou comparecia a eventos e sempre trazia no bolso um discurso para qualquer eventualidade. Lembrou tendo começado a trabalhar com ele no Itamaraty, passou muitos anos distante e se surpreendeu ao ler sua bibliografia, pela variedade de temas de que se ocupou.


Synesio Sampaio de Goes Filho, que também serviu em Lisboa, assinalou a paixão de Dario pela gastronomia de Eça de Queiros, pelos bons vinhos e restaurantes de Lisboa e do Porto. Paulo Tarso Flecha de Lima saudou o amigo de 50 anos, que conheceu em Buenos Aires, nos anos 50. ´Foi meu chefe e sua marca era a lealdade a Gibson e ao Silveira, Dario é conservador e modernista. Conservador porque datilografava seus textos numa Underwood , mas foi dos primeiros a usar a internet, no Brasil. ´Dario cultiva o Ceará com grande amor e carinho , o que é um sentimento generoso´.
Dário Moreira de Castro Alves nasceu em Fortaleza, no Ceará, em 1927. Na embaixada, foi apresentada uma exposição das obras literárias da sua autoria: ´Era Lisboa e Chovia´, ´Era Tormes e Amanhecia´ e ´Era Porto e Entardecia´, sobre a obra de Eça de Queirós, e ´Luso-Brasilidades´. É presidente do Conselho de Curadores da Fundação Luso-Brasileira para o Desenvolvimento do Mundo de Língua Portuguesa.
WILSON IBIAPINA

1 comentário:

  1. Parabéns! Embaixador
    Homenagem muito merecida.

    ResponderEliminar